Revestimentos cimentícios são tendência na decoração

Beleza, durabilidade e praticidade. Três características fortes, que ganham qualquer cliente. Por isso, o revestimento cimentício é a mais nova tendência da decoração, que vem ganhando o seu espaço a cada dia. Arquitetos e designers de interiores têm adotado esta ferramenta cada vez mais em seus projetos de casa, apartamento, lojas, bares e restaurantes, sendo que o atual queridinho pode ser utilizado tanto para áreas internas, quanto externas – inclusive em box de banheiro!

Conforme Renan Balotin, sócio proprietário de uma empresa especializada em revestimento cimentício de Francisco Beltrão, este produto imita totalmente o desenho da madeira. “Então você tem a aparência e a beleza da madeira, porém com a resistência do concreto”, afirmou.

Segundo Balotin, um dos pontos positivos do produto é quanto a sua manutenção. “Se você for fazer a manutenção da madeira, por exemplo, o investimento é caro. Já com o revestimento cimentício, você praticamente não tem este incômodo”, disse.

Jeferson Pangartte, também sócio proprietário da empresa, acrescenta dizendo que a única manutenção com a peça é quanto a sua pintura. “O principal diferencial do produto é a durabilidade e a resistência do material. Ou seja, é uma peça que é praticamente para a vida toda. A única manutenção existente é a questão de, oito em oito anos aproximadamente, passar uma demão da pintura em gel, fazendo com que o produto volte a ter a mesma cor de quando foi adquirido. E, para isso, a mão de obra é super barata, não havendo muito gasto com isso”, complementou.

Natureza

Outro ponto positivo do produto, segundo Balotin, é quanto à preservação do meio ambiente. “Para o revestimento cimentício, diferentemente de cerâmicas e porcelanatos, não é utilizado o forno para sua produção. Quer dizer, ao produzir este material não há desmatamento e isso é outro ponto que beneficia o meio ambiente, pois não usamos lenha, nem nada. É tudo feito de maneira artesanal, que preserva a natureza”, observou.

Ele ainda revelou um pouco de como é o processo de produção do revestimento. “Não podemos falar muito sobre como é produzido, mas utilizamos uma forma, a qual foi tirada o desenho exatamente de uma madeira, e a preenchemos com a nossa massa, composta por cimento e outros produtos. Aí temos o período de secagem, que dura 20 dias. Às vezes, o cliente solicita que entreguemos a peça antes deste prazo. Contudo, para garantir a qualidade e que a peça não se danifique, acabamos por não entregar antes deste prazo”, descreveu.

Cores

Quanto às cores, o produto pode ser fabricado em três opções de cores: cedro, nogueira e peroba, sendo que, dentro destas, podem ser escolhidas as mais diversas tonalidades. “A pintura é feita com um gel específico para concreto. Não é uma tinta normal, é um gel que tem maior durabilidade e faz com que o piso não se torne escorregadio. Além disso, possibilita que o produto resista ao sol e chuva. Enfim, ele dura mais do que uma tinta comum”, observou.

Vantagens

Conforme Pangartte, o produto apresenta outras vantagens. “Como piso ele pode ser tranquilamente utilizado, inclusive até como trilhos para garagem, já que aguenta o peso de veículos leves”, lembrou. Outro ponto importante é que estas peças, ao contrário do porcelanato, depois de dois anos você pode encontrar o mesmo desenho. “O revestimento cimentício faz com que tenhamos sempre a forma. Se acaso acontecer algo em uma peça só, não há problema algum em trocá-la”, concluiu.

 Da Redação, original Diário do Sudeste.

Dia dos Pais | Construtora Módulo

DIA DOS PAIS

Acessibilidade para Condomínios

Embora seja de interesse geral, nos condomínios ou nas ruas, a acessibilidade é um tema importante, principalmente em virtude do decreto federal número 5296, de 2 de dezembro de 2004, que regulamentou as leis 10.048, de 8 de novembro de 2000, e 10.098, de 19 de dezembro de 2000. De acordo com esse artigo “a construção de edificações de uso privado multifamiliar e a construção, ampliação ou reforma de edificações de uso coletivo devem atender aos preceitos da acessibilidade na interligação de todas as partes de uso comum ou abertas ao público, conforme os padrões das normas técnicas de acessibilidade da ABNT”.

Alterações
As principais adequações são das áreas comuns do condomínio. Como rampas de acesso onde há desnível (como no acesso a uma piscina, por exemplo), piso antiderrapante e comunicação em braile, principalmente nos elevadores, são alguns exemplos.

Reservar vagas para as pessoas especiais também faz parte da legislação. Assim como se faz em estabelecimentos comerciais, essas vagas de estacionamento devem ser as mais próximas da entrada do edifício ou da casa da pessoa que necessitar.

Dentro das residências

Aos menos atentos, as adaptações necessárias podem não parecer relevantes, mas para cadeirantes e idosos, que terão mais facilidade e segurança, farão muita diferença. Um exemplo é o banheiro, que ficará mais amplo.

Os banheiros têm de ter 1,5 metros de largura, para que haja espaço para o cadeirante dar uma volta em torno de si. Também é necessário aumentar a largura das portas, para 80 centímetros, além de deixar as pias em uma altura acessível a todos. Na cozinha, as regras para a largura das portas e o tamanho da pia também valem.

Importância
Mesmo que não haja pessoas com necessidades especiais, o condomínio deve estar preparado para receber visitas com este perfil, ou mesmo novos moradores futuramente. A questão da acessibilidade não se limita apenas ao cadeirante, o obeso, a grávida, o portado e de muletas, a criança, a pessoa transportando carga, o idoso, o deficiente cerebral, auditivo e visual, devem ser considerados no planejamento da edificação, portanto deve-se adotar o desenho universal nos projetos de arquitetura e urbanismo. Além disso, as adequações físicas são imprescindíveis: construção de rampas, implantação de piso táctil, plataformas de ascensão vertical, dentre outras.

O diferencial de morar em Casa

Com o crescimento do mercado imobiliário a verticalização de condomínios tem chamado a atenção de muitas pessoas, entretanto muitas construtoras estão procurando mudar essas aparências, e esta modificação se encontra na característica de residenciais horizontais uma opção que traz qualidade, conforto e segurança aos seus clientes.

A preferência por casa, geralmente duplex, tem sido um diferencial importante na aquisição da moradia. Para os compradores, o que lhes chamam atenção é a característica de morar individualmente sem compartilhamento de água ou a preocupação com limpeza dos corredores do prédio. Outro atrativo se encontra no estacionamento geralmente a frente da casa, que lhe dar mais segurança no cuidado com o seu carro. Muitas famílias levam em consideração o lazer e a segurança que se encontram lado a lado.

Outra qualidade, é que a compra de uma casa pronta em um condomínio, é muito mais em conta e prático. Comprando um lote você gastará mais e terá de esperar pela construção do condomínio e da casa o que durará em torno de 3 anos. Sendo que comprando a casa pronta em um condomínio residencial, a espera não passa de 2 anos e o cliente não terá a preocupação com o modelo construtivo utilizado pois estará ciente de tudo antes mesmo de iniciar a obra.

Os tipos são muitos, duplex, casa, 3 ou 2 quartos, compartilhado, expancível, etc., mas uma coisa é certa, o formato é a representação do sentimento de viver em um recanto residencial.

Porque construir com alvenaria estrutural?

A alvenaria estrutural com blocos de concreto apresenta vantagens muito superiores aos outros tipos de alvenarias, tais como confiabilidade, qualidade garantida por normas, ensaios e pelo Selo da Qualidade, custos competitivos e benefícios à sociedade.

O emprego de alvenaria  estrutural como suporte de edifícios não se constitui em uma inovação tecnológica recente. Na realidade, até o início deste século a alvenaria era o mais utilizado, seguro, durável, e o único aceito na estruturação de edificações de grande porte. Em São Paulo, o exemplo mais destacado desta utilização é o Teatro Municipal, inaugurado em 1911 e totalmente estruturado em paredes de alvenaria resistente.

O extraordinário crescimento do mercado imobiliário nos últimos anos tem levado ao aumento na demanda por sistemas construtivos que aliem economia e qualidade técnica, sempre de olho na equação final clientes satisfeitos e aumento das margens de lucro apertadas. Afinal, empreendimentos como os desenvolvidos para o programa Minha Casa, Minha Vida, lançado pelo governo federal se propõe a construir 1 milhão de moradias num prazo relativamente curto, o que exigem controle preciso de todos os componentes da construção.

Esse sistema construtivo, que utiliza a alvenaria estrutural com blocos de concreto oferece solução eficaz, testada em empreendimentos públicos e privados há mais de três décadas e que, ao longo desse tempo, evoluiu extraordinariamente. Hoje, grandes construtoras recorrem ao sistema construtivo de alvenaria estrutural com blocos de concreto para imprimir métodos produtivos industrializados, diminuir cronograma, garantir custos e qualidade.

O desenvolvimento técnico do sistema inclui completa normalização dos materiais (blocos), produzidos com garantia de resistência e uniformidade, por exemplo, e dos serviços envolvidos (projeto, construção da estrutura, execução de instalações e acabamento). A somatória desses elementos montou o alicerce para o enorme salto técnico-econômico no sistema construtivo de alvenaria estrutural com blocos de concreto.

Estudos realizados por especialistas em construção, comprovam que a alvenaria estrutural com blocos de concreto permite reduzir o custo das obras em até 30% (em torres de até quatro pavimentos) e 15% (em torres com 20 pavimentos), com ganhos ambientais, por praticamente não gerar rejeitos de canteiro e quase não utilizar fôrmas e escoras de madeira.

A construção civil brasileira tem hoje fornecedores de blocos de concreto qualificados, analisados por instrumentos como o Selo de Qualidade, fornecido sob critérios rigorosos de inspeção pela Associação Brasileira de Cimento Portland.

É importante deixar claro que qualquer alteração em paredes dos apartamentos, deve ser consultada à empresa resposável pela construção do edifício. Assim, a alvenaria estrutural com blocos de concreto é a melhor alternativa, para construtores e incorporadores, para seus clientes, que compram qualidade a custos menores, e para a sociedade, pelo seu potencial de emprego e geração de renda.

Solteiro sim! Sem casa não!

36344ca48475f863c1fe44d1c1cfab3f_XLÉ praticamente clichê acreditar, em pleno século XXI, que os solteiros ainda vivem desamparados. Caixas de pizza empilhadas na mesinha, roupas espalhadas pela casa, ambiente e mobília com aspecto de temporário foram deixados de lado para dar espaço a cuidados e serviços apropriados para esse público. Os Indicadores Sociais Municipais do Censo Demográfico, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), revelaram que as unidades domésticas com apenas um morador subiram de 8,6% para 12,1%, na última década. Conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de 2011 do IBGE, 48,1% dos brasileiros se declaram solteiros e, se adicionarmos a quantidade de pessoas que se declaram divorciados/separados ou viúvos, o índice chega a 60,1%. O resultado dessa mudança de conceito é o aquecimento do mercado com um amplo mix de serviços e produtos focados nesse público.

A demanda por imóveis menores, entre 40 a 60m2, é crescente no mercado imobiliário, principalmente, por solteiros. Segundo Marcio Duca, Broker/Owner da RE/MAX Class, nos últimos anos, houve uma demanda 28% maior por esse tipo de imóvel. “Há um tempo, a necessidade era por empreendimentos maiores devido às famílias com mais filhos. Atualmente, existe uma demanda crescente dos solteiros por apartamentos com poucos cômodos, bem localizados e com acesso ao comércio, serviços e lazer”, afirma. Duca destaca ainda que esta tendência já é bastante comum em cidades como Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília em função dos valores de m² praticado e vem crescendo também na cidade de Belo Horizonte.

A arquiteta da loja especializada em acabamentos Bel Lar Maristela Broilo explica que é possível identificar um aumento de 10 a 15% de procura por projetos de decoração para solteiros. Hoje, mais que uma situação momentânea, morar sozinho está se tornando uma escolha de vida, estimulando cuidados com os ambientes da casa. “Os solteiros procuram unir praticidade e custo-benefício, optando por decorações mais clean, com espaços amplos e ambientes propícios para receber amigos. Os apartamentos preferidos por esse público estão mais modernos e adaptados para receberem tecnologias disponíveis no mercado, com materiais, cores e acabamentos personalizados e também acessíveis para manutenção”, avalia.

A falta de tempo e a necessidade de mais praticidade para lidar com a moradia e alguns serviços domésticos também fazem parte do perfil de pessoas que moram sozinhas. O diretor executivo da Mercantil do Brasil Corretora de Seguros Ubirajara Cavalcanti esclarece que a contratação de um seguro residência é uma opção, não apenas pela cobertura de danos ou proteção, mas também pelos serviços de assistência.

Ele exemplifica que, por exemplo, o Check-up Residência, tem revisão de instalação elétrica e vazamentos, instalação de chuveiro elétrico, troca de lâmpadas, limpeza de caixa d’água e fixação de prateleiras, cortinas e varais. O pacote também tem serviços de assistência 24 horas, como envio de chaveiro e eletricista, vidraceiro, segurança, cobertura provisória de telhados e conexão telefônica. 

Fonte: Obra 24 horas

Decoração para quartos de alérgicos

Esqueça os cobertores, tapetes e cortinas. Para quem tem asma ou rinite, menos é mais: menos móveis, menos objetos e, basicamente, menos coisas para limpar. Qualquer peça que acumule poeira pode provocar uma crise de espirros. Por isso, em quarto de alérgico é essencial reduzir os “cacarecos”, optar por materiais fáceis de higienizar e manter uma rotina de faxina rigorosa.

“Qualquer coisa que acumule pó está vetada. Procure evitar ou reduzir objetos como bichos de pelúcia, papéis e tapetes. A causa da alergia em 90% dos casos é o ácaro, que fica na poeira. Como ele é levado pelo ar, o mais indicado é não usar nada que espalhe pó. Por isso, nada de espanador na hora de limpar o quarto. O ideal é utilizar um aspirador de pó de alta potência e um pano úmido para que a poeira não fique suspensa”, recomenda a alergista Renata Rodrigues Cocco, médica do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, e especialista em alergia e imunologia clínica pela Escola Paulista de Medicina.

Além de evitar objetos que acumulem pó, opte por peças e materiais fáceis de limpar. Assim, na hora de escolher a roupa de cama, dê preferência para os edredons em vez dos cobertores felpudos. E, na hora de dormir, evite usar a colcha que ficou o dia todo na cama.

Outra dica é cobrir o colchão e o travesseiro com capas laváveis de algodão ou PVC. Elas não são quentes nem fazem barulho. A de PVC pode ser limpa com um pano úmido diariamente e a de algodão pode ir para a máquina de lavar junto com a roupa de cama uma vez por semana. “É importante fazer a limpeza sempre, porque, por mais que você passe o aspirador e coloque o colchão no sol, o ácaro vai continuar lá no meio da espuma”, alerta a médica.

O PVC também é uma boa pedida para o piso. O chão do quarto deve ser fácil de limpar, por isso evite tapetes e opte por um piso vinílico, que pode ser limpo com um pano úmido. Esta foi uma das saídas encontradas pela designer de interiores Karina Vargas, do paulistano Estudio Gloria, para decorar o quarto de uma criança que sofria de problemas respiratórios.

No lugar dos bichinhos de pelúcia, ela enfeitou o ambiente cobrindo as paredes e as portas do armário embutido com quadros e adesivos com imagens de corujas. E para controlar a iluminação natural do cômodo, ela evitou as cortinas de tecido e optou por uma persiana de lâminas, que dá para limpar com um pano umedecido com água ou álcool. “Como a criança tinha uma alergia forte, optei por equipar o quarto com móveis e objetos que podem ser lavados ou limpos. Explicamos para ela que não era possível encher o lugar com bichinhos de pelúcia”, conta a designer.

Pisos vinílicos e persianas de lâminas, no entanto, não são as únicas opções para quem quer espantar os ácaros. A arquiteta Rafaela Beatriz Mafra, do escritório Arbos Arquitetura, de Itajaí, Santa Catarina, recomenda piso laminado para o chão e persiana com tela solar de acrílico ou PVC para as janelas. “Esse tipo de persiana parece um toldo com furinhos que você puxa verticalmente. O material facilita a limpeza e bloqueia a luz solar, mas não substitui o blackout ou veneziana”, explica a arquiteta.

Da Redação, original Terra.

Já ouviu falar em “Madeira Plástica”?

A preservação do meio ambiente é essencial para a sobrevivência da humanidade e os resíduos descartados incorretamente são o maior problema atual. Uma solução de sucesso para o reaproveitamento de resíduos plásticos gerador em nosso país, por exemplo, está na fabricação de madeira plástica, pois além de proteger as árvores e reduzir o desmatamento, retira o plástico descartado dos aterros, onde polui o solo, impede o movimento dos lençóis freáticos e nas ruas entope bueiros e redes de esgotos.

Para cada 700 kg de madeira plástica uma árvore é preservada e 180 mil sacolas plásticas são retiradas da natureza. No Brasil cresce cada vez mais o uso deste material para a produção de madeira plástica, pois como já é possível obter madeira a partir dos plásticos que colocamos no lixo, empresas produzem esta madeira sem precisar prejudicar o meio ambiente.

Os perfís de Madeira Plástica podem ser comprados como madeira convencional e trabalhados com as mesmas ferramentas. São dotados de características uniformes de densidade e permitem um melhor agarre a pregos. São ainda apresentados em diversas cores para que atendam às principais necessidades de quem projeta e contrói.

Plásticos que levariam até 100 anos para se decompor, são derretidos em altas temperaturas e moldados de forma que, na marcenaria, possam ser facilmente serrados, furados e aparafusados, dando forma a bancos, cercas, quiosques, pisos externos, móveis de jardim e piscina, entre outros.

Não fosse a vantagem de estarmos dando um fim ecologicamente correto aos nossos resíduos plásticos, a madeira de plástico apresenta outras qualidades em relação à madeira convencional:

  • Não Mancha.
  • Não desenpena.
  • Não solta farpas;
  • Material 100% reciclado e reciclável;
  • Possue alta resistência, alta durabilidade e boa higienidade;
  • Não gera qualquer subproduto ou poluição na sua fabricação;
  • Possui boas características de pregabilidade, adesividade e usinabilidade;
  • Permite ser moldada;
  • Tem resistência térmica de limites superiores, se comparada com puro plástico;
  • Produto ideal para uso em ambientes que exigem controle fitossanitário;
  • Uso interno ou externo;
  • Não necessita fumigação e nem elementos de proteção como seladoras e vernizes; Não desbota.
  • Diversas geometrias e cores de perfis;
  • É imune à corrosão e pragas (como cupins);
  • Resistente à umidade/impermeável.

PRATICIDADE

  • Livre de manutenção e pintura
  • Aplicação com as mesmas ferramentas da madeira
  • Maior agarre a pregos e parafusos
  • Limpeza feita com água e sabão
  • Dimensões e apresentação

A maior vantagem e mais importante da madeira plástica é a preservação ambiental, pelo fato de provir de material reciclado. Todo material que sobra quando se está construindo volta para o reprocessamento, virando novamente madeira plástica.

Como ainda não tem uma demanda muito alta, o preço da madeira plástica em media é 30% mais cara do que a natural, por ser um produto que necessita de tecnologia mais cara e por suas inúmeras qualidades, mas para que o preço caia, basta à produção aumentar.

Original das fontes: pensamentoverde.com.br e grupobainhacomarame.com.br

Deixe sua casa iluminada

A iluminação é um dos itens mais importantes na decoração de um ambiente, ela deve ser planejada de forma confortável, pensando nos efeitos de luz e sombra para tornar o ambiente mais dinâmico ou mais acolhedor.

 

As prateleiras das lojas expõem uma grande variedade de modelos de lâmpadas. Todas elas, porém, pertencem a uma das três famílias: incandescentes (as mais comuns), fluorescentes (as mais econômicas) e halógenas (as mais sofisticadas).


Alguns efeitos básicos combinados garantem uma boa iluminação e podem trazer conforto sem que o morador se dê conta. O melhor projeto de iluminação é aquele em que você se diverte criando e faz ao seu gosto.

Num living, por exemplo, uma iluminação equilibrada deve mesclar uma luz geral e difusa para a execução de tarefa. Isso significa pelo menos três circuitos de luz independentes. São tantos os recursos tecnológicos a nossa disposição que é necessário a ajuda de um especialista, por isso é bom ter a ajuda de um design ou arquiteto no planejamento decorativo.

 

Há também a questão do “clima” que desejamos: Um jardim sem iluminação só existe de dia. Bem iluminado pode nos passar sensações muito mais harmoniosas. Aquela coleção de garrafas de vidro que você tem pode ser vista como um monte de garrafinhas sem graça ou como objetos de arte se a iluminação for bem pensada. Aquela parede de textura diferenciada pode passar despercebida ou ser o centro das atenções da sua sala.

A preocupação com a iluminação nos ambientes é primordial, por muitas vezes, é o que faltava para diversificar sua casa. Explorar é o mais legal nesta decoração, então, se divirta e crie.

Fontes de imagens: Blog Simples Decoração e Site Casa Abril

Por que comprar móveis planejados?


Cada vez mais as pessoas tem procurado comprar e a decorar ambientes com móveis planejados, de forma que a possibilidade de aperfeiçoar os espaços interiores apresentam grande vantagem. Muitos não procuram o serviço, por pensar ser muito caro que comprar móveis prontos, no entanto por muitas vezes o custo-benefício é muito maior.

Algumas dicas são importantes no momento de contratar o serviço. Você precisa saber e ter conhecimento de absolutamente tudo o que está comprando. Ter informações sobre o que precisa para obter conforto e praticidade. Todo projeto começa pelo desenho da peça, e você não precisa ter medo de solicitar mudanças e tirar dúvidas enquanto o projeto ainda está no papel, afinal esta é a grande vantagem de comprar móveis sob medida.

Uma vantagem que pode ser mencionada é que os móveis planejados se comportam de acordo com o gosto do cliente, podendo ele escolher cores, materiais, desenhos e formas diferentes. Além dessas vantagens, os moveis planejados são diferenciados, e agregam um toque de personalidade ao ambiente.

Já uma desvantagem que pode ser citada é o fato de que, na maioria das vezes, os moveis planejados são relativamente mais caros do que os moveis comuns, comprados já prontos. Mas, na hora da compra uma boa pesquisa pode ajudar a se encontrar preços mais baixos. Diversas empresas e lojas que trabalham com móveis planejados e apresentam diversas opções de pagamento ao cliente.


Para maior aproveitamento do seu espaço utilize portas deslizantes. Além de ganhar espaço, seu projeto ficará mais bonito e prático. Já é possível encontrar no mercado empresas que possuem armários que podem ser adaptados para a necessidade de cada cliente. Móvel sob medida é um projeto completo, compare e organize sua casa.